• Dois Irmãos


    Dois Irmãos está situada nos primeiros degraus da encosta do Planalto Meridional, numa altitude média de 175 metros, posição que lhe conferiu a designação de “Portal da Serra”. Município integrante do Vale do Rio Feitoria, afluente do Rio Caí, sua história está ligada à colonização alemã no Estado, parte da antiga Colônia de São Leopoldo, instalada em 1824. Recebeu os primeiros colonos a partir de 1825, entre eles Pedro Baum e família, lavrador e sapateiro, do Hunsrück. A leva mais significativa de colonos imigrantes que ocuparam parte dos 249 lotes da “Linha Grande de Dois Irmãos” foi a dos ex-náufragos do navio Cecília. O veleiro partiu do porto de Bremen em 1827 e foi surpreendido por uma tempestade no Canal da Mancha. Parcialmente destroçado, o navio foi abandonado por seu capitão e marinhagem, ficando sem rumo até ser encontrado por um barco inglês que o conduziu para Falmouth, na Inglaterra. Aí permaneceram por cerca de dois anos, aguardando a definição de seus destinos. Os ex-passageiros do Cecília foram transportados ao Brasil a bordo de outro veleiro, o James Lainge. Este partiu de Falmouth em 2 de janeiro de 1829, chegando ao Rio de Janeiro em 8 de fevereiro de 1829. Trouxe 305 colonos-imigrantes, que, somados a outros que aguardavam embarque na Armação da Praia Grande, totalizaram 342 pessoas, transportados a Porto Alegre pelo costeiro Florinda. Estes imigrantes partiram do Rio de Janeiro em 10 de abril de 1829, chegando a Porto Alegre em 13 de maio. Foram transportados em levas sucessivas a São Leopoldo, sede da Colônia Alemã, nos dias 14, 15 e 24 de maio de 1829. Esses compõem a maior leva de famílias a se fixarem na Baumschneis, a partir de 1829, somando-se aos outros imigrantes alemães já estabelecidos anteriormente e ocupando parte dos 249 lotes em que foi dividida a Linha Grande dos Dois Irmãos. Conta a tradição que, em homenagem ao Arcanjo, estabeleceram o dia de São Miguel como seu marco fundante. Até hoje é comemorado o “Michelskerb”, Kerb de São Miguel. Em 1832 os colonos católicos inauguraram a capela em honra a São Miguel. O lugar onde foi erguido o templo é provavelmente o mesmo onde a partir de 1868 foi construído o outro, com traços góticos, concluído em 1880 e, que hoje se encontra tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado e do Município. A ocupação da Linha Grande, também conhecida como “Baumschneis” (Picada dos Baum), Picada dos Dois Irmãos ou São Miguel dos Dois Irmãos, deu-se basicamente através da atividade agrícola desenvolvida nos lotes que se alinharam lado a lado, no sentido norte-sul da Picada. O adensamento construtivo e demográfico se fez ao longo da picada, hoje Avenida São Miguel, com casa de comércio, de atividades artesanais (ferrarias, marcenarias, carpintarias, sapatarias, lombilharias, etc.), residências e igrejas, plantadas na cabeceira dos lotes, constituindo uma “povoação-lagarta”. Ainda hoje, percorrendo a Avenida São Miguel, identificamos a antiga Igreja Católica de São Miguel (1880), a Igreja Evangélica (1855), a Igreja Evangélica Luterana (1938), a Sociedade de Canto Santa Cecília (1927), a Sociedade Atiradores (1897), a Escola Imaculada Conceição (1900), além de casas de comércio, entre elas a casa que hoje abriga o Museu Histórico Municipal. O Município ainda preserva a característica original de região agrícola, com o domínio de pequenas propriedades voltadas à policultura, onde se destaca o cultivo de milho, cebola, batata, mandioca, feijão, cana-de-açúcar e hortifrutigranjeiros, além da criação de aves, suínos, gado leiteiro e áreas florestadas com acácia-negra para extração do tanino e da madeira. Essa característica está identificada no roteiro turístico-cultural Rota Colonial Baumschneis. O artesanato coureiro-calçadista deu lugar às pequenas e médias indústrias de calçados que exportam para o mercado nacional e internacional, às marcenarias e às indústrias de móveis e esquadrias. O crescimento demográfico e econômico foi acompanhado de mudanças político-administrativas: em 1857, Dois Irmãos é transformado no 4º Distrito do município de São Leopoldo; em 1938, a povoação é elevada a categoria de Vila e, em 1959 , é criado o município de Dois Irmãos. A germanidade das origens da maioria da população está presente não apenas nos cabelos loiros e olhos azuis de seus filhos, mas no falar alemão dialeto ou português com forte acento. Também está nas suas tradições culturais: o gosto pela dança, canto, música e festas. E, principalmente, na importância que é dada à educação. Igreja, escola e trabalho foram no passado e ainda são no presente as três pilastras sobre as quais se constrói a história de Dois Irmãos.

    Site oficial: http://www.doisirmaos.rs.gov.br



    Voltar







    Associação Rota Romântica
    Avenida 15 de Novembro, 100
    Nova Petrópolis | RS
    Telefone: 54 3281 4455
    E-mail: contato@rotaromantica.com.br
Img
Img
Img
Img
Img
Img